teste de js
Docs. selecionados:

Pesquisa Avançada
Voltar aos arquivos



Info

António Arnao Metello
O fundo documental de António Arnao Metello foi depositado na Fundação Mário Soares por doação da sua filha, Leonor Metello.
Os documentos encontravam-se acondicionados em caixas de cartão e, dentro delas, em dossiers temáticos (alguns com descrição inscrita), embora, por um lado, o seu conteúdo nem sempre tivesse correspondência com as inscrições, e por outro, uma parte significativa da documentação se encontrasse simplesmente dispersa no interior das caixas. A Fundação Mário Soares procedeu ao seu tratamento, individualizando documentos ao nível peça e, posteriormente, executando operações de digitalização, descrição e classificação digital.
Em termos temáticos, foi possível identificar 2 núcleos distintos, o que se reflecte na árvore documental de classificação:
- aproximadamente metade da documentação diz respeito a Timor, incluindo 2 conjuntos documentais das décadas de 1910 a 1930 produzidos originalmente por António Jerónimo Metello (pai de António Arnao Metello) e Armando Pinto Correia (amigo de família), militares que prestaram serviço nesse território, bem como documentos reunidos pelo próprio António Arnão Metello aquando da sua estadia em Timor (1973-74);
- documentação relativa aos diferentes cargos assumidos por António Arnao Metello em Portugal, entre finais de 1974 e 1976.
Para além dos núcleos acima referidos, é igualmente de notar a presença residual de alguns documentos, maioritariamente de interesse essencialmente biográfico e pessoal, que transcendem o âmbito referido, nomeadamente relativos à sua formação escolar e militar anterior, bem como à sua actividade posterior como engenheiro civil.
Em termos tipológicos, grosso modo o fundo é constituído por manuscritos/notas, despachos/correspondência, imprensa/recortes e relatórios diversos, encontrando-se apenas um objecto (estandarte do Comando Territorial Independente de Timor) e algumas fotografias.

Nota biográfica/Institucional
António Carlos de Magalhães Arnao Metello (Vila Paiva de Andrade, Angola, 02.JUN.1938 — Macau, 29.JUL.2008) foi um militar e engenheiro civil que assumiu diversos cargos governamentais durante o período dos governos provisórios, de que se destacam o de Ministro da Administração Interna no IV e o de vice-Primeiro-Ministro no V.
Oriundo de uma família com tradições militares, António Arnao Metello frequentou o o Colégio Militar entre 1948 e 1956, ano em que ingressou na Academia Militar, onde frequentou e concluiu o curso de Engenharia Militar. Colocado em Moçambique, é graduado em Major em 1970 e em Julho de 1973 chega a Timor, onde assume os cargos de Chefe do Estado-Maior no Comando Territorial Independente de Timor e Presidente do Conselho Provincial de Educação Física, que acumula, já no pós-25 de Abril, com os de Presidente da Comissão para a Autodeterminação de Timor e delegado do Movimento das Forças Armadas (MFA) no território.
Em Setembro de 1974 deixa Timor rumo a Portugal, ficando colocado no Estado-Maior General das Forças Armadas (EMGFA), e integra a comitiva portuguesa em algumas negociações com vista ao processo de descolonização, designadamente com a Indonésia (Lisboa, Outubro de 1974) e com os movimentos de libertação de Angola (Alvor, Janeiro de 1975). Paralelamente, e a partir de Outubro de 1974, assume funções no Gabinete Coordenador para a Cooperação/Comissão Nacional de Descolonização criadas no âmbito da Presidência da República.
Considerado próximo da ala radical do MFA, integra, a partir de 26 de Março de 1975, os IV e V governos provisórios de Portugal liderados por Vasco Gonçalves, onde assume os cargos de Ministro da Administração Interna (IV) e vice-Primeiro-Ministro (V), saindo do Governo a 19 de Setembro de 1975, em pleno "verão quente".
Já graduado em Tenente-Coronel, é preso no dia 28 de Novembro de 1975, juntamente com dezenas de militares (e alguns civis) na sequência dos acontecimentos do 25 de Novembro, e enviado para Custóias. Solto a 10 de Fevereiro de 1976, afasta-se da vida pública e da carreira militar.
Na década de 1980 fixa-se em Macau, onde exerceu engenharia civil e, a partir da década seguinte, desempenhou as funções de chefe do Departamento de Estruturas no Laboratório de Engenharia Civil de Macau, vindo a falecer a 29 de Julho de 2008.

Dimensão
11 pastas de arquivo, correspondendo a 663 documentos individualizados (cerca de 1 metro linear)

Estado de Tratamento
Integralmente digitalizado. Classificação em finalização.